Doenças

A Doença designa em medicina e outras ciências da saúde um distúrbio das funções de um órgão, da psiquéou do organismo como um todo que está associado a sinais e sintomas específicos. Pode ser causada por fatores externos, como outros organismos (infecção), ou por desfunções ou malfunções internas, como as doenças autoimunes. A patologia é a ciê...

A Doença designa em medicina e outras ciências da saúde um distúrbio das funções de um órgão, da psiquéou do organismo como um todo que está associado a sinais e sintomas específicos. Pode ser causada por fatores externos, como outros organismos (infecção), ou por desfunções ou malfunções internas, como as doenças autoimunes. A patologia é a ciência que estuda as doenças e procura entendê-las.....

Resulta de consciência da perda da homeostasia de um organismo vivo, total ou parcial, estado este que pode cursar devido a infecções,inflamações, isquemias, modificações genéticas, sequelas de trauma, hemorragias, neoplasias ou disfunções orgânicas. Distingue-se da enfermidade, que é a alteração danosa do organismo. O dano patológico pode ser estrutural ou funcional.

O profissional de saúde faz a anamnese e examina o paciente a procura de sinais e sintomas que definem a síndrome da doença, solicita os exames complementares conforme suas hipóteses diagnósticas, visando chegar a um diagnóstico. O passo seguinte é indicar um tratamento.

Uma condição pode ser considerada uma doença em algumas culturas e épocas, mas não em outras. Condições tais como o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade e a obesidade são consideradas doenças por parte de alguns países desenvolvidos, mas têm sido considerados de forma diferente em outras culturas. Por exemplo, a obesidade também pode representar riqueza e abundância e é um símbolo de status em áreas propensas à fome e alguns lugares mais atingidos pela caquexia decorrente da AIDS.

A doença confere a legitimação social de determinados benefícios, como auxílio-doença, desnecessidade de comparecer ao trabalho e recebimento de cuidadas por outras pessoas. Em contrapartida, existe uma obrigação por parte do doente a procurar tratamento e trabalho para voltar a ficar bem. Como comparação, considere-se a gravidez, que não é normalmente interpretada como uma doença ou uma enfermidade. Por outro lado, é considerada pela comunidade médica como uma condição que exige cuidados médicos.

A identificação de uma condição como uma doença, ao invés de simplesmente como uma variação da estrutura ou funcionalidade humana, pode ter importantes implicações sociais ou econômicas. Os reconhecimentos controversos como doenças do transtorno de estresse pós-traumático, também conhecido como o "coração do soldado", "choque de stress do combate" ou "fadiga do combate", da lesão por esforço repetitivo e dasíndrome da Guerra do Golfo teve uma série de efeitos positivos e negativos sobre as finanças e outras responsabilidades governamentais, empresas e instituições para indivíduos, assim como sobre os próprios indivíduos. A implicação social de considerar o envelhecimento como uma doença pode ser profunda, embora esta classificação não está ainda generalizada. Os leprosos eram um grupo de indivíduos socialmente evitados ao longo da história e o termo "leproso" ainda evoca estigma social. O medo da doença pode ainda ser um fenômeno social amplo, embora nem todas as doenças evocam um estigma social extremo.

Mais

Doenças Não existe nenhum produto nesta categoria.

Subcategorias

  • Acne

    Acne é uma doença da pele. A sua frequência é maior na adolescência, quando o nível elevado de hormônios sexuais causa o aumento da secreção de sebo pelas glândulas sebáceas, provocando o aparecimento de espinhas, bolhas e pontos negros principalmente no rosto,costas, peito e ombros.

    Às vezes, os poros bloqueados se infeccionam aparecendo bolhas cheias de pus. Muito comumente se coça ou espreme essas bolhas, causando o agravamento da infecção e deixando cicatrizes, manchas e ferimento.

  • Alcoolismo

    alcoolismo é geralmente definido como o consumo consistente e excessivo e/ou preocupação com bebidas alcoólicas ao ponto que este comportamento interfira com a vida pessoal, familiar, social ou profissional da pessoa e pode potencialmente resultar em condições (doenças) psicológicas e fisiológicas, assim como, por fim, na morte. É um dos problemas mundiais de uso de drogas que mais trazem custos. Com exceção do tabagismo, o alcoolismo é mais custoso para os países do que todos os problemas de consumo de droga combinados.

  • Alergias

    Alergia é uma resposta exagerada do sistema imunológico a uma substância estranha ao organismo, ou seja uma hipersensibilidade imunomediada a um estímulo externo específico.

    O organismo capaz de apresentar uma reação de hipersensibilidade diz-se estar sensibilizado. As reações alérgicas, sendo reações imunológicas, são extremamente específicas, reagindo o organismo sensibilizado exclusivamente ao determinante antigênico usado como imunógeno ou uma estrutura semelhante. As reações de hipersensibilidade foram bem cedo separadas em dois tipos diferentes, de acordo com o tempo decorrido entre o contato do organismo sensibilizado com o antígeno e a visualização macroscópica do fenômeno alérgico. Assim, enquanto as chamadas reações de hipersensibilidade imediata exigem apenas minutos para seu aparecimento, as reações de hipersensibilidade tardia só se desenvolvem depois de muitas horas. Hoje, embora esse critério de tempo de aparecimento continue válido para a classificação das reações de hipersensibilidade, sabe-se que diferenças mais importantes separam os dois tipos. Assim, enquanto as reações do tipo imediato incluem todas as reações reproduzíveis por um ou outro dos vários tipos de anticorpos presentes no soro e, consequentemente, podem ser transferidas de um indivíduo para o outro por anti-soro, as reações do tipo tardio dependem de linfócitos e, portanto, não são transmissíveis por anti-soro, mas somente por células. A transferência por meio de células de um estado de imunidade denomina-se imunização adotiva, porque o organismo receptor adota as células do doador, as quais lhe conferem a imunidade adquirida no outro organismo. No caso de transferência por células de um estado de hipersensibilidade, diz-se haver sensibilidade adotiva. Tanto a imunidade quanto a sensibilização adotiva somente são possíveis entre indivíduos isogênicos.(É possível à transferência de células alogênicas que, entretanto, sobrevivem por um período curto.) Note-se que, enquanto a hipersensibilidade tardia é transferível por anticorpos ou células.

  • Ansiedade

    Ansiedadeânsia ou nervosismo é uma característica biológica do ser humano, que antecede momentos de perigo real ou imaginário, marcada por sensações corporais desagradáveis, tais como uma sensação de vazio no estômago, coração batendo rápido, medo intenso, aperto no tórax, transpiração, e outras alterações associadas à disfunção do sistema nervoso autônomo (ver sintomas mais frequentes abaixo relacionados).

    Esses dois aspectos, tanto a ansiedade quanto o medo, não surgem na vida da pessoa por uma escolha. Acredita-se que vivências interpessoais e problemas na primeira infância possam ser importantes causas desses sintomas. Além disso, existem causas biológicas como anormalidades químicas no cérebro ou distúrbios hormonais. Ansiedade é um estado emocional que se adquire como consequência de algum ato. Todos nós temos uma consciência que nos permite distinguir o certo do errado quando realizamos algo que a nossa consciência diz ser errado, como adultério, assassinato, ou desacatar alguém que sempre nos fez o bem, sem um motivo real aparente, isso nos leva a uma consciência pesada, é como se a cabeça ficasse literalmente com um peso extra ou sentimento de culpa que impede o nosso equilíbrio.

  • Articulação

    As articulações são conexões habituais existentes entre dois ou mais ossos, nos vertebrados, ou entre os artículos dos apêndicesdos invertebrados.

    Nos vertebrados superiores, as articulações móveis estão revestidas de cartilagem e incluem bolsas de fluido lubrificante. Podem sersinoviais, fibrosas ou cartilagíneas.

    Articulação fibrosa ou sinatrose (do latim sin sem, artrose movimento) é aquela que apresenta tecido fibroso interposto entre os ossos, podendo ser1 :

    • Sutura - com pequena quantidade de tecido fibroso, como as que existem entre os ossos do crânio.De acordo com a as superfícies de contato são subdivididas em:Gonfoses – articulações fibrosas que ocorrem entre cavidades e saliências (ex. dentes e maxila, dentes e mandíbula)
      • Plana
      • Escamosa
      • Serreada
    • Sindesmoses – articulações fibrosas ligadas por fibras colágenas ou lâminas de tecido fibroso - membrana interóssea (ex.rádio e ulna; tíbia e fíbula)
  • Artrite

    artrite é a inflamação das articulações, em sentido amplo: é conjunto de sintomas e sinais resultantes de lesões articulares produzidas por diversos motivos e causas. As artrites são um tipo de reumatismo portanto é estudado pelareumatologia. Raramente tem uma origem conhecida mas todas envolvem fatores genéticos, orgânicos, ocupacionais e ambientais. São mais comuns em adultos e idosos.

  • Artrose

    osteoartrite (OA)artrose, artrite degenerativa' ou ainda doença degenerativa das articulações' é uma doença crônica das articulações caracterizada pela degeneração da cartilagem e dos ossos próximos, que pode causar dor, rigidez e redução da funcionalidade das articulações afetadas. São mais comum nas mãos, punho, ombros, cotovelos, joelho e pés.

    A artrose é uma das perturbações articulares mais frequentes no mundo e aflige especialmente trabalhadores braçais, diabéticos, obesos e pessoas com mais de 40 anos. É um pouco mais frequente em mulheres.

  • Bursite

    bursite é a inflamação de uma bolsa sinovial, um saco membranoso revestido por células endoteliais. Ela pode ou não se comunicar com as membranas sinoviais das articulações. A função desta bolsa é evitar o atrito entre duas estruturas (por exemplo, tendão e osso ou tendão e músculo) ou proteger as proeminências ósseas. As bursas estão localizados próximas a articulações. Qualquer processo inflamatório nestes tecidos moles será percebido freqüentemente por pacientes como dor na articulação e, equivocadamente como artrite.

  • Bronquite

    Bronquite é a inflamação dos brônquios. Existem dois tipos, a bronquite aguda, que geralmente é causada por vírus oubactérias e que dura diversos dias até semanas, e a bronquite crônica com duração de anos, não necessariamente causada por uma infecção, e geralmente faz parte de uma síndrome chamada DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), doença que pode ser descrita como um “guarda-chuva", uma vez que contempla a bronquite crônica e o enfisema pulmonar. Em pessoas com bronquite crônica, as vias aéreas estão estreitas, tensas e muitas vezes cheias de muco, resultando na redução da passagem do ar.

    A bronquite aguda ou crônica é caracterizada por tosse e expectoração (que expulsa, por meio da tosse, secreções provenientes da traquéia, brônquios e pulmões) e sintomas relacionados à obstrução das vias aéreas pela inflamação e pelo expectorado, como dificuldade de respiração e chiados. 

  • Cabelo

    cabelo é cada um dos pelos que crescem no couro cabeludo (parte superior da cabeça do corpo humano).

    Há em média 3 milhões e meio de fios capilares em uma pessoa adulta e crescem em média 1 cm por mês. Diferenciam-se dos pelos comuns pela sua elevadíssima concentração por área de pele e pelo desenvolvimento em comprimento. Podem ser lisos, crespos, ondulados e de muitas cores. Os cabelos não servem só como um aliado estético (dando forma e valorizando o rosto) mas também funcionam como um isolante térmico, protegendo a cabeçadas radiações solares e da abrasão mecânica. Também podem ser um indicativo de diversas doenças que se manifestam alterando sua estrutura.

  • Calculos Renais

    Um cálculo renal, popularmente denominado pedra no rim, é uma massa ou agregado cristalino sólido que se forma nosrins a partir de sais minerais presentes na urina. Os cálculos do sistema urinário (urolitíases) são geralmente classificados em função da sua localização nos rins (nefrolitíase), uretra (uretrolitíase) ou bexiga (cistolitíase), ou em função da suacomposição química (constituídos por cálcio, estruvite, ácido úrico ou outros minerais). Cerca de 80% dos cálculos renais ocorrem em homens.

    Os cálculos renais são geralmente expelidos do corpo através da corrente urinária. A maior parte dos cálculos forma-se e deixa o corpo sem manifestar quaisquer sintomas. No entanto, quando um cálculo atinge uma dimensão considerável, geralmente superior a 3 mm, pode provocar obstrução da uretra. Esta obstrução causa azotemia pós-renal, hidronefrose(distensão e dilatação da pelve e dos cálices renais e espasmo da uretra. Estes factores provocam dores, sentidas de forma mais intensa na região lombar entre as costelas e a anca, na parte inferior do abdómen ou na virilha – uma condição denominada cólica renal. As cólicas renais podem estar associadas a náuseas, vómitos, febre, sangue ou pus na urina ou ainda dor ao urinar. As cólicas renais geralmente manifestam-se em episódios com duração de 20 a 60 minutos, começando na parte lateral da região lombar ou na parte inferior das costas, e muitas vezes alargando-se para a virilha ou para os órgãos genitais. O diagnóstico de um cálculo renal é realizado mediante a informação obtida a partir do historial clínico, de exames físicos, de análises à urina ou de radiografia, podendo ainda ser complementado por ecografia ouanálises de sangue.

    Quando um cálculo não provoca sintomas, uma das opções é aguardar de forma vigilante. Em caso de cálculos com sintomas, os analgésicos são geralmente a primeira medida de tratamento, recorrendo-se a anti-inflamatórios não esteroides ou opiáceos. Os casos mais graves podem necessitar de intervenção cirúrgica. É possível dividir um cálculo em vários fragmentos de forma não invasiva através de litotripsia. Noutros casos, podem ser necessárias de técnicas mais invasivas, entre as quais técnicas percutâneas ou de cistoscopia. Por vezes, pode ser necessário aplicar na uretra um cateter para contornar a obstrução e aliviar os sintomas.

  • Cancro

    Cancro (português europeu) ou Câncer (português brasileiro), é uma doença caracterizada por uma população de células que cresce e se divide sem respeitar os limites normais, invade e destrói tecidos adjacentes, e pode se espalhar para lugares distantes no corpo, através de um processo chamado metástase. Estas propriedades malignas do câncer o diferenciam dos tumores benignos, que são auto-limitados em seu crescimento e não invadem tecidos adjacentes (embora alguns tumores benignos sejam capazes de se tornarem malignos). O câncer pode afetar pessoas de todas as idades, mas o risco para a maioria dos tipos de câncer aumenta com o acréscimo da idade. O câncer causa cerca de 13% de todas as mortes no mundo, sendo os cânceres de pulmão, estômago, fígado, cólon e mama os que mais matam.

  • Catarata

    catarata é uma patologia dos olhos que consiste na opacidade parcial ou total do cristalino ou de sua cápsula. Pode ser desencadeada por vários fatores, como traumatismo, idade, Diabetes mellitus, uveítes, uso de medicamentos,etc.. Tipicamente apresenta-se como embaçamento visual progressivo que pode levar a cegueira ou visão subnormal.

    É uma doença conhecida há milhares de anos e sua cirurgia já é realizada há séculos.

    Atualmente, a técnica cirúrgica mais moderna para o tratamento da catarata consiste na remoção do cristalino por microfragmentação e aspiração do núcleo, num processo chamado Faco-emulsificação, e posterior implante de uma lente intra-ocular.

  • Cefaleia

    Enxaqueca ou migrânea é uma desordem neurovascular caracterizada por dor intensa, pulsante e debilitante na cabeça. Geralmente atinge apenas uma metade da cabeça e está acompanhada de náusea, vômito e sensibilidade a luz (fotofobia) e ao som (fonofobia). É uma doença muito comum, afetando cerca de 20% das mulheres e entre 5 e 10% dos homens do mundo.

    As cefaleias (assim como várias outras doenças) podem ser primárias ou secundárias:

    • Primárias: quando tem características próprias e a recorrência da dor é a principal manifestação da doença.
    • Secundárias: quando são sintomas de outras doenças como infecções (sinusites, meningites), traumas, tumores, aneurismas, alterações metabólicas ou hormonais.

    Outra classificação importante é a presença ou ausência de aura. A aura é um fenômeno neurológico que inclui a ocorrência de escotomas (alterações visuais), que em geral começam poucos minutos antes do aparecimento da dor. Nem sempre esse tipo de alteração ocorre - daí a ocorrência da chamada enxaqueca sem aura, por sinal mais comum. Tais alterações ocorreriam por distúrbios elétricos negativos ao nível do córtex cerebral, em especial na região occipital, responsável pela visão.

  • Cegueira

    Cegueira é a condição de falta de percepção visual, devido a fatores fisiológicos ou neurológicos. Várias escalas têm sido desenvolvidas para descrever a extensão da perda de visão e definir a cegueira. Cegueira total é a completa falta de percepção visual de forma e luz e é clinicamente registrado como NLP, uma abreviação para "no light perception" (sem percepção de luz). Cegueira é frequentemente usada para descrever a deficiência visual grave, com visão residual. Aqueles descritos como tendo apenas percepção de luz têm apenas a capacidade de diferenciar o claro do escuro e a direção de uma fonte de luz.

  • Celulite

    celulite é "um termo coloquial para depóstios de gordura e tecido fibroso causando irregularidades na pele que está por cima"; encontrando-se usualmente nas nádegas e partes posteriores das coxas. Caracteriza-se principalmente por ondulações da pele, dando a esta o aspecto de casca de laranja ou de ricota. Embora alvo da indústria da estéticia e da preocupação de muitas mulheres, a celulite não caracteriza doença, sendo uma forma natural de o organismo armazenar gordura superficial. Faz-se presente no corpo da grande maioria das mulheres (70% a 80%), e mesmo mulheres magras as têm com frequência.

    O termo também se refere à infecção bacteriana do subcutâneo, geralmente por estafilo aureus coagulase positivo (S. aureus), que é caracterizada por uma área eritematosa de bordos mal definidos, dolorosa, levemente edemaciada. Requer tratamento farmacológico; com penicilinas penicilinases-resistentes.

    Muitos tentam erradicar a celulite engajando-se em um processo de emagrecimento, e fazendo dietas específicas. Embora o emagrecimento possa trazer alguma melhoria estética, esse, por si, não é um tratamento para a celulite. Muitas pessoas magras são portadoras de celulite, e emagrecer não é suficiente para se erradicar as mesmas. Há de se considerar ainda que várias pessoa bem gordas não têm celulite, exibindo uma pele lisa e hidratada igual a uma "bundinha de bebê".

    A erradicação do consumo do leites de animais e derivados (queijos, mantEigas, iogurtes, coalhadas), que causam inflamação das células, pode trazer o benefício do fim de cólicas e da própria celulite, além de melhorias na pele. O glúten, carnes, linguiça, embutidos, e biscoitos recheados (ricos em gordura trans) também colaboram para aumento da celulite.

    A celulite aparece principalmente na região dos glúteos, coxa, abdómen, nuca, e braços.

  • Circulação

    O termo circulação refere-se ao movimento de um fluido ao longo de um circuito fechado. A circulação do sangue é o movimento do sangue originado pelo bombeamento do coração que o envia para as artérias. A função circulatória é, basicamente, uma função de transporte.

    A circulação do sangue faz-se em dois circuitos separados anatomicamente e com funções diferentes:

    • Circulação pulmonar ou Pequena circulação pela qual são realizadas as trocas gasosas oxigênio e anidrido carbónico
    • Circulação sistémica ou Grande circulação que permite levar os nutrientes e oxigénio aos tecidos e receber os produtos finais do metabolismo para serem excretados, assim como levar as hormonas aos seus órgãos alvo.
  • Cirrose

    O tipo mais comum de cirrose, a cirrose hepática, afeta o fígado e surge devido ao processo crônico e progressivo de inflamações (hepatites), fibrose e por fim ocorre a formação de múltiplos nódulos, que caracterizam a cirrose. A cirrose é considerada uma doença terminal do fígado para onde convergem diversas doenças diferentes, levando a complicações decorrentes da destruição de suas células, da alteração da sua estrutura e do processo inflamatório crônico.

    A capacidade regenerativa do fígado é conhecida e até faz parte da mitologia grega (a história de Prometeu). É possível retirar cirurgicamente mais de dois terços de um fígado normal e a porção restante tende a crescer até praticamente o tamanho normal, com um processo de multiplicação celular que se inicia logo nas primeiras 200 horas, através de mecanismo ainda não bem esclarecido (o mesmo acontece com o transplante hepático intervivos, em que o receptor recebe uma porção do fígado do doador e depois ambos crescem). No entanto, a cirrose é o resultado de um processo crônico de destruição e regeneração com formação de fibrose. Nessa fase da hepatopatia, a capacidade regenerativa do fígado é mínima.

  • Colesterol

    Colesterol é um álcool policíclico de cadeia longa, usualmente considerado um esteroide, encontrado nas membranas celulares e transportado no plasma sanguíneo de todos os animais. É um componente essencial das membranas celulares dos mamíferos. O colesterol é o principal esterol sintetizado pelos animais, mas pequenas quantidades são também sintetizadas por outros eucariotas, como plantas e fungos.

    Não existe colesterol em nenhum produto de origem vegetal. Plantas apresentam um tipo de composto similar chamado de fitosterol.

    A maior parte do colesterol presente no corpo é sintetizada pelo próprio organismo, sendo apenas uma pequena parte adquirida pela dieta. Portanto, ao contrário de como se pensava antigamente, o nível de colesterol no sangue não aumenta se não ingerido quantidades adicionais de colesterol através da dieta (a menos, claro, que haja um distúrbio genético). O colesterol é mais abundante nos tecidos que mais sintetizam ou têm membranas densamente agrupadas em maior número, como o fígado, medula espinhal, cérebro e placas ateromatosas (nasartérias). O colesterol tem um papel central em muitos processos bioquímicos, mas é mais conhecido pela associação existente entre doenças cardiovasculares e as diversas lipoproteínas que o transportam, e os altos níveis de colesterol no sangue (hipercolesterolemia).

    O colesterol é insolúvel em água e, consequentemente, insolúvel no sangue. Para ser transportado através da corrente sanguínea ele liga-se a diversos tipos de lipoproteínas, partículas esféricas que tem sua superfície exterior composta principalmente por proteínas hidrossolúveis. Existem vários tipos de lipoproteínas, e elas são classificadas de acordo com a sua densidade.

  • Colite

    Colite é uma condição inflamatória do intestino, ela pode ser causada ou se manifestar de duas formas principais: colite ulcerosa e doença de Crohn. Pode também ser causado indiretamente por medicamentos, nesse caso se chama colite pseudomembranosa. Genericamente, porém, o termo se refere a qualquer inflamação, como a que é causada por uma virose no intestino, resultando em diarréia aguda.

    A colite ulcerativa é uma doença inflamatória do cólon, intestino grosso, que se caracteriza por inflamação e ulceração da camada mais interna do cólon. Os sintomas incluem caracteristicamente diarréia, com ou sem sangramento retal, e freqüentemente dor abdominal. A colite ulcerativa pode afetar apenas a parte inferior do cólon, reto e é, então, chamada de proctite ulcerativa. Se a doença afetar apenas o lado esquerdo do cólon, ela é chamada de colite distal ou limitada. Se ela envolver todo o cólon, é chamada de pancolite. A colite ulcerativa difere de uma outra doença inflamatória intestinal, a doença de Crohn. A Colite ulcerativa afeta apenas o cólon. A inflamação é máxima no reto e estende-se até o cólon de modo contínuo, sem nenhuma área do intestino normal poupada. A doença de Crohn pode afetar qualquer área do trato gastrintestinal, incluindo o intestino delgado, e pode haver áreas de intestino normal entre as áreas de intestino doente, as chamadas áreas "poupadas". A colite ulcerativa afeta apenas a camada mais interna do cólon, enquanto a doença de Crohn pode afetar toda a espessura da parede intestinal. A colite ulcerativa e a doença de Crohn são diferentes do cólon espástico ou síndrome do cólon irritável, que é um distúrbio de motilidade do trato gastrintestinal. A síndrome do cólon irritável não tem nenhuma relação direta com a colite ulcerativa ou doença de Crohn.Em uma pequena proporção de pacientes, o tratamento clínico não é completamente bem sucedido ou surgem complicações. Nessas circunstâncias, pode-se considerar a cirurgia. Essa cirurgia envolve a remoção de todo o cólon e reto, com criação de uma ileostomia ou estoma externo. Diferente da doença de Crohn, que pode recorrer após a cirurgia, a colite ulcerativa é "curada" após a remoção do cólon. Têm sido desenvolvidas novas técnicas cirúrgicas, para remover o cólon, manter a continuidade e continência intestinal e evitar uma ileostomia. Essas técnicas envolvem a criação de uma bolsa interna com intestino delgado e sua fixação com o músculo do esfíncter anal, mantendo assim a integridade intestinal e evitando um estoma externo ou ileostomia.

  • Constipação

    constipação (também conhecida por nasofaringite ourinofaringite) é uma doença infecciosa viral do aparelho respiratório superior que afeta sobretudo a cavidade nasal. Os sintomas incluem tosse, garganta inflamada, muco nasal e por vezes febre, que normalmente desaparecem ao fim de sete a dez dias, embora alguns dos sintomas se manifestem até três semanas. Existem mais de 200 vírus associados às causas da constipação, sendo os mais comuns os rinovirus.

  • Crohn

    doença de Crohn é uma doença crónica inflamatória intestinal, que atinge geralmente o íleo e o cólon (mas pode afectar qualquer parte do tracto gastrointestinal). Apresenta-se sob três formas principais: inflamatória, fistulosa e fibroestenosante. Muitos danos são causados por células imunológicas que atacam uma ou mais partes dos tecidos do tubo digestivo, mas não há certeza de etiologia autoimune. Os sintomas e tratamentos dependem do doente, mas é comum haver dor abdominal, diarreia, perda de peso e febre. Actualmente não há cura para esta doença, no entanto os tratamentos permitem alívio dos sintomas e melhoria de qualidade de vida.

    A doença de Crohn é uma das principais doenças inflamatórias intestinais. A outra é a colite ulcerosa, que difere em vários detalhes. Muitos acreditam que a doença de Crohn e a Colite ulcerosa são duas manifestações extremas de um mesma patologia intestinal subjacente.

  • Depressão

    transtorno depressivo maior, também chamado de perturbação depressiva major em Portugal, é um transtornopsiquiátrico que afeta pessoas de todas as idades. Caracteriza-se pela perda de prazer nas atividades diárias (anedonia),apatia, alterações cognitivas (diminuição da capacidade de raciocinar adequadamente, de se concentrar ou/e de tomar decisões), psicomotoras (lentidão, fadiga e sensação de fraqueza), alterações do sono (mais frequentemente insônia, podendo ocorrer também hipersonolência), alterações do apetite (mais comumente perda do apetite, podendo ocorrer também aumento do apetite), redução do interesse sexual, retraimento social, ideação suicida e prejuízo funcional significativo (como faltar muito ao trabalho ou piorar o desempenho escolar).

    O transtorno depressivo maior diferencia-se do humor "triste", que afeta a maioria das pessoas regulamente, por se tratar de uma condição duradoura (a maior parte do dia, quase todos os dias, pelo menos 2 semanas), de maior intensidade ou mesmo por uma tristeza de qualidade diferente da tristeza habitual, acompanhada de vários sintomas específicos e que trazem prejuízo à vida da pessoa. A distimia é um outro tipo de transtorno depressivo caracterizado por sintomas de menor intensidade, mas com caráter bastante crônico (a maior parte do dia, quase todos os dias, pelo menos 2 anos). Ou seja, depressão não é tristeza. É uma doença que precisa de tratamento.

  • Dermatites

    Eczema, também chamada de dermatite, se refere a qualquer tipo de inflamação da pele. Os eczemas, em geral, iniciam-se pela aparecimento, à superfície da pele, de vermelhidão (eritema) e inchaço (edema) da superfície cutânea. Como consequência, pode ocorrer um acúmulo de líquidos em pequenas vesículas, com prurido. Das vesículas, um líquido seroso é secretado, o que favorece a formação de crosta. Com a progressão do quadro a pele torna-se espessa (liquenificada).

  • Diabetes

    diabetes melito, também conhecido como diabetes sacarinodiabetes sacarina,diabetes e diabete, é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue. A glicose é a principal fonte de energia do organismo porém, quando em excesso, pode trazer várias complicações à saúde como por exemplo o excesso de sono no estágio inicial, problemas de cansaço e problemas físico-táticos em efetuar as tarefas desejadas. Quando não tratada adequadamente, podem ocorrer complicações como ataque cardíaco, derrame cerebral, insuficiência renal, problemas na visão, amputação do pé e lesões de difícil cicatrização, dentre outras complicações.

  • Diarreia

    diarreia consiste no aumento do número de evacuações e/ou a presença de fezes amolecidas, com consistência pastosa e/ou até mesmo líquidas nas evacuações.

    A diarreia é classificada em Aguda, quando dura até 14 dias, Persistente, superior a 14 dias ou ainda Crônica, quando ultrapassa de 3 semanas.

  • Eczema

    Eczema, também chamada de dermatite, se refere a qualquer tipo de inflamação da pele. Os eczemas, em geral, iniciam-se pela aparecimento, à superfície da pele, de vermelhidão (eritema) e inchaço (edema) da superfície cutânea. Como consequência, pode ocorrer um acúmulo de líquidos em pequenas vesículas, com prurido. Das vesículas, um líquido seroso é secretado, o que favorece a formação de crosta. Com a progressão do quadro a pele torna-se espessa (liquenificada)

    É bastante comum na infância e adolescência, afetando cerca de um em cada nove jovens (11%-15%), mas provavelmente muitos casos não são diagnosticados. Também é frequente em profissionais de saúdes, pessoas responsáveis pela limpeza e lactantes. Atinge cerca de 5-10% dos adultos.

    Os principais sintomas são:

    • Manchas avermelhadas (eritema)
    • Inchaço (edema)
    • Secreção na pele
    • Pele ressequida
    • Formação de crosta
    • Prejuízo na qualidade do sono

    Os outros sintomas vão depender da origem do eczema. Manchas também causam prejuízo significativo na socialização, um problema sério para crianças com dermatites frequentes que são estigmatizadas e excluídas do convívio social.

  • Edema

    Edema refere-se a um acúmulo anormal de líquido no compartimento extra-celular intersticial ou nas cavidades corporais devido ao aumento da pressão hidrostática, diminuição da pressão coloidosmótica, aumento da permeabilidade vascular(inflamações) e diminuição da drenagem linfática. É constituído de uma solução aquosa de sais e proteínas do plasma e sua composição varia conforme a causa do edema. Quando o líquido se acumula no corpo inteiro diz-se que é um edema generalizado.

  • Enjoo

    Náusea ou enjoo é a sensação de desconforto no estômago com uma vontade urgente de vomitar.

    A náusea também é uma defesa do organismo, já que é a preparação para o vômito e a expulsão de substâncias que podem estar causando problemas ao organismo. É o caso da náusea que ocorre após consumo de grande quantidade debebidas alcoólicas. A náusea é um sintoma geral e inespecífico, que chama a atenção para um problema do organismo que nem sempre é facilmente detectável. As náuseas podem melhorar evitando-se a ingestão de alimentos sólidos e através da utilização de antieméticos.

    Existe também a náusea de origem psicológica, como aquela que ocorre quando vemos alguma coisa repugnante, pode ser também tonturas repentinas. É a forma da consciência subjetiva de dizer que não aceita aquilo.

    Deve-se diferenciar a náusea resultante da cinetose, comum em pessoas que passam mal em movimento, por ter tratamento distinto.

  • Enxaqueca

    Enxaqueca ou migrânea é uma desordem neurovascular caracterizada por dor intensa, pulsante e debilitante na cabeça. Geralmente atinge apenas uma metade da cabeça e está acompanhada de náusea, vômito e sensibilidade a luz (fotofobia) e ao som (fonofobia). É uma doença muito comum, afetando cerca de 20% das mulheres e entre 5 e 10% dos homens do mundo.

  • Esclerose Múltipla

    Esclerose múltipla, ou esclerose em placas também designada por "esclerose disseminada", é uma doença desmielinizante de etiologia ainda desconhecida, caracterizada por uma reacção inflamatória na qual são danificadas asbainhas de mielina que envolvem os axónios dos neurónios cerebrais e medulares, levando à sua desmielinização e ao aparecimento de um vasto quadro de sinais e sintomas. A doença manifesta-se geralmente em jovens adultos e é mais frequente em mulheres numa razão de cerca de 3:1.

  • Estomatite

    Estomatite é um termo geral dado a doenças ou inflamações da cavidade bucal, de etiologia diversa. Entre as possíveis causas estão infecção por vírus, bactérias ou fungos; agentes tóxicos ou irritantes como álcool e fumo; sequidão, trauma, deficiência de vitaminas C e do complexo B, de ferro e outras.

  • Faringite

    Faringite pode referir-se a uma infeção ou a uma simples inflamação da faringe (região anatómica que conecta a boca e o nariz à laringe e ao esófago). A doença pode tanto ser o primeiro sintoma de um simples resfriado quanto de um problema mais grave, viral ou bacteriano. Usualmente há dor e muitas vezes rouquidão (apesar de esta última ser mais frequente nalaringite). É o processo inflamatório/infecioso mais frequente das vias respiratórias superiores.

  • Fibromialgia

    fibromialgia -também conhecida por síndrome de Joanina Dognini- é uma síndrome dolorosa não-inflamatória, caracterizada por dores musculares difusas, fadiga, distúrbios de sono, parestesias, edema subjetivo, distúrbios cognitivos e dor em pontos específicos sob pressão (pontos no corpo com sensibilidade aumentada ou tender-points).

  • Flebite

    tromboflebite, também chamada flebotrombose ou simplesmente flebite consiste na oclusão de um segmento ou da totalidade de uma veia decorrente da formação de um coágulo (trombo). O termo flebotrombose começou a ser usado e está a ser muito frequente em Portugal porque o sufixo ite pode levar à confusão com um processo infeccioso ou inflamatório, por vezes com consequências na estratégia do seu tratamento, como a prescrição da associação de antibióticos e antinflamatórios e não de anticoagulantes.

  • Gastrite

    gastrite é uma inflamação do epitélio estomacal, muitas vezes, tem diferente significado para os leigos e para osmédicos.

    O público, frequentemente, usa o termo gastrite como queixa, representando vários desconfortos relacionados com oaparelho digestivo.

    O médico, após examinar o paciente e fazer os exames necessários, conclui que existe gastrite, inclusive, muitas vezes sem sintomas e outras vezes em que não existe significado clínico destacável.

  • Hepatite

    Hepatite é toda e qualquer inflamação do fígado e que pode resultar desde uma simples alteração laboratorial (portador crônico que descobre por acaso a sorologia positiva), até doença fulminante e fatal (mais frequente nas formas agudas).

    Existem várias causas de hepatite, sendo as mais conhecidas as causadas por vírus (vírus das hepatite A, B, C, D, E, F, G, citomegalovírus, etc). Outras causas: drogas (anti-inflamatórios, anti-convulsivantes, sulfas, derivados imidazólicos, hormônios tireoidianos, anti-concepcionais, etc), distúrbios metabólicos (doença de Wilson, poli-transfundidos, hemossiderose, hemocromatose, etc), trans-infecciosa, pós-choque. Em comum, todas as hepatites têm algum grau de destruição das células hepáticas.

    A maioria das hepatites agudas são assintomáticas ou levam a sintomas incaracterísticos como febre, mal estar, desânimo e dores musculares. Hepatites mais severas podem levar a sintomas mais específicos, sendo o sinal mais chamativo aicterícia, conhecida popularmente no Brasil por "tiriça" ou "amarelão" e que caracteriza-se pela coloração amarelo-dourada da pele e conjuntivas. Associado pode ocorrer urina cor de coca-cola (colúria) e fezes claras, tipo massa de vidraceiro (acolia fecal). Hepatites mais graves podem cursar com insuficiência hepática e culminar com a encefalopatia hepática e óbito. Hepatites crônicas (com duração superior a 6 meses), geralmente são assintomáticas e podem progredir paracirrose.

  • Hiperglicemia

    hiperglicemia caracteriza-se pelo elevado nível de glicose no sangue. Os níveis normais de glicose no sangue é de até 99mg/dL pré-prandial (antes de comer) e de até 140mg/dL pós-prandial (depois de comer). Níveis alterados desses valores podem sugerir crises hipo ou hiperglicêmicas, por diversas etiologias (origens). Ao persistirem os níveis alterados, a procura a um serviço de saúde se torna essencial, podendo caracterizar-se por quadros patológicos, como a Diabetes Melitus.

  • Hipertensão Arterial

    Hipertensão arterial é uma doença crónica determinada por elevados níveis de pressão sanguínea nas artérias, o que faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior do que o normal para fazer circular o sangue através dosvasos sanguíneos. A pressão sanguínea envolve duas medidas, sistólica e diastólica, referentes ao período em que o músculo cardíaco está contraído (sistólica) ou relaxado (diastólica). A pressão normal em repouso situa-se entre os 100 e 140 mmHg para a sistólica e entre 60 e 90 mmHg para a diastólica.

  • Incontinencia Urinaria

    De forma geral a incontinência urinária (ou IU) ocorre quando, a pressão dentro da bexiga excede aquela que se verifica dentro da uretra ou seja há um aumento considerável da pressão para urinar dentro da bexiga, isso ocorre durante a fase de enchimento do ciclo de micção.

    É definida como a perda involuntária de urina, provocando por vezes certo constrangimento à pessoa.

    A incontinência urinária também pode ser designada de Enurese. E ocorre com certa frequência à noite, principalmente entre os idosos.

  • Infecção

    Infecção é a invasão de tecidos corporais de um organismo hospedeiro por parte de organismos capazes de provocar doenças, a sua multiplicação e a reação dos tecidos do hospedeiro a estes organismos e às toxinas por eles produzidas. Uma doença infecciosacorresponde a qualquer doença clinicamente evidente que seja o resultado de uma infeção, presença e multiplicação de agentes biológicos patogénicos no organismo hospedeiro. As infecções são causadas por agentes infecciosos, como os vírus, viroides e priões, por microorganismos como as bactérias, por nematódeos, por artrópodes como as carraças, ácaros, pulgas e piolhos, por fungos e por outros macroparasitas.

    O hospedeiro é capaz combater a infeção através do seu sistema imunitário. Os mamíferos reagem à infecção através do sistema imune inato, um processo que envolve muitas vezes a inflamação à qual sucede uma resposta do sistema imune adquirido.

    Os agentes infecciosos, na maioria das vezes, são seres microscópicos tais como vírus, bactérias, fungos, parasitas (muitos macroscópicos), virions e príons. Os príons estão associados a várias doenças, como por exemplo, a Encefalopatia Espongiforme Bovina, uma doença que acomete o gado conhecida como "doença da vaca-louca" ou a sua variante humana a doença de Creutzfeldt-Jakob. Desta definição conclui-se que em todas as infecções existe uma inflamação, mas nem todas as inflamações são infecções. A inflamação é definida como a presença de edema (inchaço), hiperemia (vermelhidão), hiperestesia (dor ao toque), aumento da temperatura no local e, às vezes, perda de função. Assim, uma simples queimadura de sol já produz uma inflamação, pois a pele fica vermelha, ardida, quente e inchada. Mas, em princípio, não existe infecção pois não há bactérias ou vírus causando esta inflamação. Já uma amigdalite aguda, vulgarmente chamada de dor de garganta, apresenta na garganta todos os aspectos da inflamação e mais a presença de bactérias ou vírus que produziram esta inflamação. A infecção pode levar a formação de pus, num processo conhecido por supuração.

  • Inflamações

    inflamação ou processo inflamatório é uma reação do organismo a uma infecção ou lesão dos tecidos.

    Em um processo inflamatório a região atingida fica avermelhada e quente. Isso ocorre devido a um aumento do fluxo de sangue e demais líquidos corporais migrados para o local. Na área inflamada também ocorre o acúmulo de células provenientes do sistema imunológico (leucócitos, macrófagos e linfócitos), com dor localizada mediada por certas substâncias químicas produzidas pelo organismo. No processo, os leucócitos destroem o tecido danificado e enviam sinais aos macrófagos, que ingerem e digerem os antígenos e o tecido morto. Em algumas doenças esse processo pode apresentar caráter destrutivo.

    A inflamação pode também ser considerada como parte do sistema imunitário, o chamado sistema imune inato, assim denominado por sua capacidade para deflagrar uma resposta não-específica contra padrões de agressão previamente e geneticamente definidos pelo organismo agredido. Esta definição se contrapõe à da imunidade adquirida, ou aquela onde o sistema imune identifica agentes agressores específicos segundo seu potencial antigênico. Nesse último caso, o organismo precisa entrar em contato com o agressor, identificá-lo como estranho e potencialmente nocivo e só então produzir uma resposta.

  • Insónia

    insónia é um dissonia caracterizada pela dificuldade em iniciar e/ou manter o sono e pela sensação de não ter um sono reparador durante pelo menos um mês causando prejuízo significativo em áreas importantes da vida do indivíduo. Do ponto de vista polissonográfico, é acompanhada de alterações na indução, na continuidade e na estrutura do sono. Geralmente aparece no adulto jovem, é mais frequente na mulher e tem um desenvolvimento crônico. É o transtorno de sono mais comum, respondendo por cerca de 25% das buscas em clínicas especializadas em tratamento de problemas do sono. Cerca de metade dos pacientes com insônia também tem depressão maior.

    Frequentemente o paciente com diagnóstico de insônia primária apresenta dificuldade para começar a dormir e acorda seguidamente durante a noite, sendo incomum uma queixa isolada de sono não reparador.

  • Laringite

    Em medicina, laringite é a inflamação do laringe (onde estão as cordas vocais) e as áreas próximas. Ela pode ser sintoma de resfriado, bronquite, ou até mesmopneumonia (dentre outras infecções respiratórias). Se não cuidada pode ocasionar problemas sérios como tumor maligno que atinge as cordas vocais ou a parte superior as cordas.

  • Memória

    memória é a capacidade de adquirir (aquisição), armazenar (consolidação) e recuperar (evocar) informações disponíveis, seja internamente, no cérebro (memória biológica), seja externamente, em dispositivos artificiais (memória artificial).

    A memória focaliza coisas específicas, requer grande quantidade de energia mental e deteriora-se com a idade. É um processo que conecta pedaços de memória e conhecimentos a fim de gerar novas idéias, ajudando a tomar decisões diárias.

    Os neurocientistas (psiquiatras, psicólogos e neurologistas) distinguem memória declarativa de memória não-declarativa. A memória declarativa, grosso modo, armazena o saber que algo se deu, e a memória não-declarativa ocomo isto se deu.

    A memória declarativa, ou de longo prazo como o nome sugere, é aquela que pode ser declarada (fatos, nomes, acontecimentos, etc.) e é mais facilmente adquirida, mas também mais rapidamente esquecida. Para abranger os outros animais (que não falam e logo não declaram, mas obviamente lembram), essa memória também é chamada explícita. Memórias explicitas chegam ao nível consciente. Esse sistema de memória está associado com estruturas no lobo temporal medial (ex: hipocampo, amígdala).

    Psicólogos distinguem dois tipos de memória declarativa, a memória episódica e a memória semântica. São instânciasda memória episódica as lembranças de acontecimentos específicos. São instâncias da memória semântica as lembranças de aspectos gerais.

    Já a memória não-declarativa, também chamada de implícita ou procedural, inclui procedimentos motores (como andar de bicicleta, desenhar com precisão ou quando nos distraímos e vamos no "piloto automático" quando dirigimos). Essa memória depende dos gânglios basais (incluindo o corpo estriado) e não atinge o nível de consciência. Ela em geral requer mais tempo para ser adquirida, mas é bastante duradoura.

    Memória, segundo diversos estudiosos, é a base do conhecimento. Como tal, deve ser trabalhada e estimulada. É através dela que damos significado ao cotidiano e acumulamos experiências para utilizar durante a vida.

  • Menopausa

    Menopausa designa o período fisiológico que se caracteriza pelo encerramento dos ciclos menstruais e ovulatórios. Inicia-se com idade variável, mas normalmente entre os 45 e 55 anos. Afirma-se que uma mulher esteja na menopausa quando a mesma apresenta ausência de ciclos menstruais há mais de um ano. 

  • Nevrite

    Neurite ou nevrite é uma lesão inflamatória ou degenerativa dos nervos, da qual decorre paralisia. Compromete a atividade no sistema nervoso.

  • Obsidade

    Obesidadenediez ou pimelose é uma doença crônica multifatorial, na qual a reserva natural de gordura aumenta até o ponto em que passa a estar associada a certos problemas de saúde ou ao aumento da taxa de mortalidade. É resultado do balanço energético positivo, ou seja, a ingestão alimentar é superior ao gasto energético.

    Apesar de se tratar de uma condição clínica individual, é vista, cada vez mais, como um sério e crescente problema de saúde pública: o excesso de peso predispõe o organismo a uma série de doenças, em particular doença cardiovascular, diabetes mellitus tipo 2, apneia do sono e osteoartrite.

    A obesidade pode ser definida por termos relativamente absolutos. Na prática, a obesidade é avaliada em termos de sua massa corporal e também pela sua distribuição na circunferência da cintura ou pela razão entre as circunferências da cintura e do quadril. Além disso, a presença de obesidade deve ser avaliada enquanto fator de risco cardiovascular e outras condições médicas que podem aumentar o risco de complicações.

  • Obstipação

    obstipação, também chamada de prisão de ventre ou constipação intestinal, é caracterizada pela dificuldade constante ou eventual da evacuação das fezes, que se tornam ressecadas. Esta, não deve ser considerada como uma doença, mas como um sintoma ou efeito de alimentação deficiente, stresse e outros problemas que fazem com que o organismo responda retendo as fezes por um período maior do que o normal. Em crianças a obstipação pode vir acompanhada de outros sintomas, como o escape fecal e encoprese, ou seja, o ato de sujar as roupas íntimas involuntariamente.

    Estatisticamente, a prisão de ventre afeta mais as mulheres do que os homens devido a fatores hormonais e, no caso da gestação, pela compressão do útero sobre o intestino.

  • Osteoporose

    Osteoporose é uma doença óssea caracterizada por baixa regeneração e/ou rápida degeneração óssea, gerando ossos pouco densos e frágeis. É duas vezes mais comum em mulheres do que em homens e mais comum após os 50 anos. A doença progride lentamente e raramente apresenta sintomas antes que aconteçam fraturas espontâneas ou por trauma físico. Se não forem feitos exames diagnósticos preventivos a osteoporose pode passar despercebida, até que tenha gravidade maior.

  • Pele

    pele (cútis ou tez), em anatomia, é o órgão integrante do sistema tegumentar (junto ao cabelo e pêlos, unhas, glândulassudoríparas e sebáceas), que tem por principais funções a proteção dos tecidos subjacentes, regulação da temperatura somática, reserva de nutrientes e ainda conter terminações nervosas sensitivas.

    A pele é o revestimento externo do corpo, considerado o maior órgão do corpo humano e o mais pesado. Compõe-se da pele propriamente dita e da tela subcutânea.

    O nome anatómico internacional é cútis. A pele é o maior órgão do corpo humano, constituindo 15% do peso corporal,sendo o órgão mais pesado do corpo

  • Próstata

    próstata é uma glândula exócrina que faz parte do sistema genital masculino.

    A próstata difere consideravelmente entre espécies quer anatômica, química e fisiologicamente. A função da próstata humana é produzir e armazenar um fluido incolor e ligeiramente alcalino (pH 7.29) que constitui 10-30% do volume do fluido seminal, que juntamente com os espermatozóides constitui o sêmen.

    As principais doenças que atingem a próstata são a hiperplasia prostática benigna, a prostatite e o cancro de próstata.

  • Psoríase

    Psoríase é uma doença inflamatória crônica da pele, podendo afetar mucosas, unhas e até articulações. Acomete homens e mulheres de qualquer idade, sendo frequente o seu aparecimento na terceira década de vida. É caracterizada pela presença de lesões avermelhadas, bem delimitadas, descamativas,em qualquer parte do corpo. Apresenta período de melhora e piora ao longo da sua evolução. A psoríase pode levar a uma piora na qualidade de vida dos pacientes, devido ao preconceito das pessoas que os cercam.

    É agravada por fatores psicológicos, estresse, frio, baixa umidade, ingestão de álcool e tabaco e corticosteroides. Não é contagiosa, sua causa mais frequente é genética associada a fatores psicológicos.

  • Reumatismo

    Reumatismo é o termo genérico usado para designar um grupo de doenças que afeta articulações, músculos e esqueleto, caracterizado por dores e restrições dos movimentos. Portanto, reumatismo não se refere a nenhuma doença específica e sim a um grupo de doenças com as características acima citadas. Compreende artrites, mialgias, neurites, gota e processos similiares.

  • Sinusite

    Sinusite é uma inflamação de vias respiratórias superiores conhecidas como seios paranasais geralmente associada a um processo infeccioso por vírus, bactéria ou fungo mas que também pode estar associado a uma alergia ou a inalação de poluentes. Os seios paranasais são formados por um grupo de cavidades aeradas que se abrem dentro do nariz e se desenvolvem nos ossos da face. Sua frequência varia entre 1 e 15% das crianças e 1 e 40% dos adolescentes dependendo da região do mundo, sendo mais comum em regiões frias e com grandes variações climáticas.

    Está fortemente associada a outras infecções das vias superiores como rinite, asma, bronquite, amigdalite e faringite.

  • Stresse

    stresse pode ser definido como a soma de respostas físicas e mentais causadas por determinados estímulos externos (estressores) e que permitem ao indivíduo (humano ou animal) superar determinadas exigências do meio ambiente e o desgaste físico e mental causado por esse processo.

    O estresse pode ser causado pela ansiedade e pela depressão devido à mudança brusca no estilo de vida e a exposição a um determinado ambiente, que leva a pessoa a sentir um determinado tipo de angústia. Quando os sintomas de estresse persistem por um longo intervalo de tempo, podem ocorrer sentimentos de evasão (ligados à ansiedade e depressão). Os nossos mecanismos de defesa passam a não responder de uma forma eficaz, aumentando assim a possibilidade de vir a ocorrer doenças, especialmentecardiovasculares.

  • Tendinite

    Tendinite é a inflamação de um tendão que surge usualmente através do excesso de repetições de um mesmo movimento. Não é adquirida necessariamente no trabalho, mas com a difusão da inflamação, tornou-se uma importante doença ocupacional. Esta condição afecta pessoas que despendem muito tempo realizando uma mesma tarefa, quer em trabalho quer em lazer. Os grupos mais afectados são operários de linhas de montagem, que têm uma única tarefa ao longo de uma carreira de trabalho, e pessoas que utilizam demais o mouse de um computador.

    Tendões são tecidos fibrosos, densos e resistentes, através dos quais os músculos se prendem aos ossos, e permitem a realização do movimento articular. O sufixo "ite" em Medicina, geralmente está associado à existência de inflamação. Assim sendo, tendinite significa inflamação do tendão. Como se trata de um termo extremamente popularizado, o termo "tendinite" foi consagrado pelo uso para se referir a qualquer processo doloroso que não apresente alterações ósseas ao exame de Raios-X.

    As causas das Tendinites propriamente ditas são variadas, e podem estar associadas à presença de muitas condições ou doenças

  • Tosse

    tosse é uma contração espasmósdica, repentina e frequentemente repetitiva da cavidade torácica, resultando em uma violenta liberação de ar dos pulmões, e geralmente acompanhada por um som característico.

    A tosse é uma ação que o corpo toma para se livrar das substâncias (poeiras, bactérias, vírus, fungos e outras substâncias danosas) que estão irritando as passagens de ar na faringe, laringe, traquéia ou pulmões. Uma tosse geralmente é iniciada para limpar uma formação de fleuma (muco) na traquéia; o ar pode se mover nesta passagem, chamada shreulla, a até 480 km/h (300 mph) durante a contração. A tosse também pode ser desencadeada por uma porção de comida descendo pela traquéia ao invés do esôfago, devido a uma falha da epiglote, embora isso possa resultar, no entanto, em um engasgo. A tosse crônica (ou frequente) geralmente indica a presença de uma doença. A menos que o paciente não seja um fumante e tenha um raio-X peitoral normal, a causa da tosse crônica em 93% de todos os pacientes é devido à asma, refluxo ou gotejamento pós-nasal (secreção do nariz indo na direção dos pulmões). Nos pacientes fumantes, a tosse pode ser um indicativo de DPOC, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica. Outras causas da tosse crônica incluem bronquite crônica e medicamentos como os IECA. A tosse pode ocorrer voluntariamente assim como involuntariamente, neste caso sendo um mecanismo de reflexo.

  • Triglicéridos

    Triacilglicerol é nome genérico de qualquer tri-éster oriundo da combinação do glicerol (umtriálcool) com ácidos, especialmente ácidos graxos (ácidos carboxílicos de longa cadeia alquílica), no qual as três hidroxilas (do glicerol) sofreram condensação carboxílica com os ácidos, os quais não precisam ser necessariamente iguais. Triacilgliceróis são prontamente reconhecidos como óleos ou gorduras (ver óleo vegetal e gordura), produzidos e armazenados nos organismos vivos para fins de reserva alimentar.

    De forma simplificada, um triacilglicerol é formado pela união de três ácidos graxos a uma molécula de glicerol, cujas três hidroxilas (grupos –OH) ligam-se aos radicais carboxílicos dos ácidos graxos.

  • Úlcera

    Úlcera é o nome genérico dado a quaisquer lesões superficiais em tecido cutâneo ou mucoso, popularmente denominadas feridas. Nessas lesões ocorre a ruptura do epitélio, de modo a haver exposição de tecidos mais profundos à área rota. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica é exemplo de lesão que ocorre no estômago ou no duodeno (mais frequente), sendo mais susceptíveis a este grupo de úlceras as pessoas que sofrem de stress.

  • Varizes

    Varizes são dilatações ou tortuosidades das veias do corpo humano. As mais comuns são as varizes dos membros inferiores. As secundárias a uma cirrose hepática não têm a mesma fisiopatologia e devem fazer parte das doenças hepáticas.

    Não se deve confundir varizes (doença do sistema venoso superficial) com a insuficiência venosa profunda que pode ser secundária a um problema de flebotrombose (também chamado tromboflebite), nem com a presença de telangiectasias ou varicose reticular (também chamados derrames). Esta última situação não é como muitos julgam uma primeira fase da doença varicosa como as classificações existentes ainda o mencionam, mas sim uma entidade independente, cuja fisiopatologia parece ser a dificuldade da drenagem capilar da pele para o tecido celular subcutâneo, e estão vinculadas na maior parte dos casos a uma tendência familiar.

  • Vertigens

    Vertigem é um sintoma no qual a pessoa tem a sensação de uma tontura rotatória, podendo causar náuseas, vômitos, ilusão de movimento, etc. Existem dois tipos de vertigem, a Central e Periférica.

  • Visão

    visão (a vista) é um dos cinco sentidos que permite aos seres vivos dotados de órgãos adequados, aprimorarem apercepção do mundo.

  • Zumbidos

    Dá-se o nome de zumbido, ou ainda acúfenotinnitus ou tinido, a uma sensação auditiva cuja fonte não advém deestímulo externo ao organismo, é um sintoma associado a várias formas de perda auditiva.

    Ele pode ser causado por exposição prolongada a sons acima do volume limite para a saúde humana, 85 decibéis, acima do qual é possivel causar dano permanente na audição, e ainda outros problemas, como de circulação.